Crônicas do Torcedor: 1989 – A partida decisiva

Botafogo x Flamengo - 1989 - partida decisiva

1989.

Acredito que este seja um ano em que botafoguenses com menos de 50 anos, citem numerosas vezes aos plenos pulmões, e eu, nos meus 43 anos, não seria diferente.

Sou Botafoguense inicialmente passado de geração para geração, meu pai é botafoguense e passou para o filho mais velho e em seguida passei para meu irmão (este se bandeou para os portugueses do Rio de Janeiro), sempre tive uniformes e tudo que dizia respeito ao Glorioso, mas sempre naquela coisa de que não ganhávamos há anos e isso foi virando um sentimento permanente, já não incomodava mais as brincadeiras dos amigos, só que algo aconteceu neste ano, algo mudou em 1989.

Dois anos antes, em 1987, meu pai nos levava ao Maracanã pela primeira e única vez em que fomos juntos, eu, ele e meu irmão, e por prazer do destino, era um Botafogo x Flamengo, onde este venceria por 1×0 com gol de Jorginho. Imaginem 2 crianças fanáticas por futebol assistindo pela primeira vez o time de coração e, voltamos com o coração partido.

Passou o tempo e em 1989, era mais um time de desconhecidos e desacreditados que foi ganhando confiança e enchendo as estrelas nos peitos botafoguenses de esperança. Eu tinha 14 anos.

Começou a grande final, me tranquei no meu quarto, pendurei a camisa na cabeceira da cama, liguei o rádio e comecei a escutar o jogo, imaginam o time que tinha o Flamengo, só em pensar que Zico jogaria, era calafrios, mas um jogador chamado Luisinho, camisa 8, fez o trabalho de anular Zico, e fez com maestria.

Lembro-me que havia um senhor mecânico na minha rua, botafoguense como eu, que também estava escutando o jogo, mas eu adormeci e acordei aos berros dele após o gol, com fogos e tudo mais, acendi o pavio da esperança e colei no rádio até o fim do jogo.

Abri a janela e gritei até não ter mais voz e desde esta noite, percebi que sou botafoguense por mim e não mais pela inicialização paterna.


Esse post foi produzido por um leitor do blog da RetrôMania. Você também pode contar sua história para nós! Clique aqui e saiba como enviar seu conteúdo.

Compartilhe:

Deixe seu comentário!